quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Mediador

Se pensarmos na mediação como um processo extrajudicial, pacífico, voluntário, privado e confidencial, pretende-se o apoio de um terceiro elemento neutro, imparcial e independente – O Mediador.

O objectivo geral da Mediação consiste em auxiliar as partes envolvidas a alcançarem um acordo justo e mutuamente satisfatório, a colaborarem na resolução do problema em vez de se manterem intransigentemente agarradas a posições inultrapassáveis e antagónicas.

São estes aspectos que fazem com que a mediação seja um método não adverso de resolução de conflitos mas sim um processo de facilitação da comunicação e da construção da relação na regulação das situações conflituosas e um modo de acompanhamento na tomada de decisões.

A mediação proporciona uma intervenção mais célere, menos onerosa e mais co-participativa e facilitadora de diálogo na regulação das situações de conflito e na manutenção ou reconstrução da qualidade relacional.

A qualidade do desempenho dos mediadores, as exigências da sua actuação segundo um código ético, cívico e pedagógico, constituem uma garantia da promoção da sua prática baseada nos princípios de confidencialidade, neutralidade e imparcialidade.

A mediação, enquanto instrumento de gestão da comunicação e interacções, permite instaurar novas dinâmicas relacionais duradouras e contributivas entre os diferentes intervenientes.

O mediador assume-se, enquanto pedagogo da comunicação com experiência educativa e cívica, um gestor de conflitos.

O que se pretende é incentivar e promover o diálogo, as boas práticas sociais e educativas, o recurso aos meios de resolução alternativa de conflitos em geral e a mediação em particular.

15 comentários:

Anônimo disse...

O bullying, é uma caso bastante serio!!
Sou aluna nunca passei por isso, porque eu mando em mim nao vou deixar que ninguem faça o que quiser de mim.Tenho um aluno la na minha escola e eu e um amiga minha defendemo-lo de ser vitima de bullying de vez em quando.
Peço a todos os alunos para nunca terem medo de ninguem e fazer sempre quixa de quem os faz mal.
As pessoas nao devem de ter medo de ameças, devemos e ter coragem para ir contra os nossos amigos,e nunca cometer erros na vida por causa de pessoas que nos fazem mal.

antonio disse...

Sou pai, fui aluno nas escolas publicas deste país durante muitos anos,(sobrevivi ao sistema de ensino em Portugal, fui formador profissional, frequentei outro sintema de ensino na Noruega, conheço portanto muito bem o funcionamento a escola em Portugal.
Num mundo perfeito, a escola serve para desenvolver o conhecimento, satisfazer a curiosidade e aprender a viver em sociedade.
Estas tarefas só podem ser efectuadas com eficácia, se realizadas em segurança na escola: sem espaço para conflitos. Não sendo a escola, um cenário de guerra, a mediação referida no texto simplesmente não se aplica e até está completamente fora do contexto.
António Marques

Anônimo disse...

Sou mãe de uma adolescente que desde o inicio da via escolar enfrenta várias dificuldades de aprendizagem. Já passou por várias escolas e desde o 3º ano do 1º ciclo que enfrenta problemas de aceitação por parte dos colegas.
Neste momento está a frequentar um curso de educação e Formação.
Aqui há cerca de 3/4 anos, ou seja o tempo de frequência nesta escola, comecei a perceber que algo de errado se estava a passar, às vezes ficava indisposta, febril, e acabava por não ir à escola, outras vezes, ao fim de uma hora de estar na escola, telefona para eu a ir buscar por não se sentir bem. Eu apercebia-me que era tudo uma desculpa para não ir à escola, mas para não piorar a coisa, deixava-a ficar em casa ou ia buscá-la. Ia conversando com ela, incentivando-a a contar o que se passava, pois notava que embora não recusasse ir à escola, a verdade é que quando a deixava na escola, ela ficava muito deprimida.
O tempo foi passando, eu e o pai, sempre a incentivarmos que nos contasse o que se passava.
O problema agravou-se no ano lectivo seguinte, ela estava cada vez mais deprimida, até que chegou ao ponto de me ligar em prantos, para que eu a fosse buscar à escola, que já não agentava mais.
esta situação, repetia-se quase todos os dias. Fui à escola vezes sem conta, mas os professores e auxiliares, nada adiatavam.
Depois de meses a insistir, finalmente desabafou:
Não podia fazer queixa, pois tinha sido ameaçada.
Desesperada, insisti com ela para me dar um nome.
Assim que o obtive, dirigi-me à escola e fiz um ultimato: ou a escola tratava do assunto internamente, ou eu resolveria o problema fora da escola.
O aluno estava referenciado, e pouco depois, saiu.
Infelizmente, o problema continuou, aquele aluno saiu, mas outros contunuaram lá.
Um dia, a minha filha pediu ajuda ao irmão, que é 11 anos mais velho, para ir à escola ver se falava com as pessoas que a importunavam, faziam troça, chamavam-lhe nomes, etc. O irmão foi, ameaçou um tabefe a um deles, e o problema lá acalmou.
No ano passado, durante um noticiáio da Sic, passou uma repostagem que falava de um novo fenómeno de violência nas escolas: Bullying.
Eu não queria acreditar, a minha filha era vitima de bullying. A escola nunca o admitiu.
Este é o ultimo ano da minha filha naquela escola.
Para o próximo ano, nova escola, nova luta, porque nem todas as pessoas são muito inteligentes, extrovertidas, etc.
Cada um é como é.

Fabiano (LicoSp) disse...

Participem da campanha: "Faça Amigos, Não Bullying", do blog Ligação Teen: http://www.ligacaoteen.com.br/polemica/faca-amigos-nao-bullying/

marcelahannouche disse...

Gostaria que essa lei e a importancia que estão dando para o bullyng fosse na minha época de criança.
Em 1992, 93, 94, 95... Sofri muito com isso, por ser libanesa e recem chegada ao brasil, eu deveria ser um pouco estranha, diferente das outras crianças, era sempre quieta e foi agredida varias vezes fisicamente e moralmente por meninos e meninas, e o pior, na frente de professoras que simplesmente ignoravam o fato.
Um vez tinha um garoto que me perseguia ja a 3 anos, me xingando, dizendo que eu era a mais feia da escola, que eu era burra, então na 4ª série ele me deu um soco na cara dentro da sala de aula, era final na aula, bateu o sinal a professora saiu e todo resto da sala e eu fiquei chorando.
Acredito que esses traumas de infancia eu nunca conseguirei superar, hoje tenho varios problemas emocionais.

Anônimo disse...

a pessoa que sofrem de bullying na escola, eu sou uma aluna no 10 ano na inglaterra to ca a um ano e ja passei por isso.... nao deixei isso mandar vos a baixo porque e a pior coisa, nao escondam pq assim ainda vao fazer pior, facam queixa, nao deixei que esse pessoal se apodere de voces e dos vocos sentimentos. perciso de levantar a cabeca e seguir em frente.... anyway.....
neste momento tou a fazer um trabalho sobre o bullying mas perciso de mais informacoes about this, por isso vou continuar na minha pesquisa....

NAO DEIXEI QUE O BULLYING SE APODERE DE VOCES, OU ENTAO AS PESSOAS QUE OS PRATICAO.....

Anônimo disse...

ca seca

Anônimo disse...

o bulyng e uma coisa ma muito ma e perigosa por favor nao fassam isso sigam o nosso cocelho por favor

Anônimo disse...

nao deixem se levaremse a baixo quem sofre isto fassa queixa as autoridades ou os pais eu sei que nao e facil mas temos de ser fortes por que o bulling e uma coisa(caso)feio por isso deixo esta msm para todos que sofrem disto forcaaaaaaaaaaaaaa

lista disse...

Olá nós somos um grupo de alunos que esta a concorrer ao parlamento de jovens com o tema bullying.Com isto pretendemos ajudar e diminuir o bullying. Se precisarem de ajuda ja sabem contactem o mail : saystopbulying@gmail.com ou visitem e comentem o nosso site saystopbullying.t83.net

Anônimo disse...

oi sou aluna e no colégio tem varios tipo de ´´bullying´´´não acho isso certo por isso vamos acabar com os preconceitos assim teremos um mundo melhor

Anônimo disse...

Vejam esta história que vem da Austrália. às vezes só as vitimas podem resolver o problema:
http://www.vidda.net/archives/5545

Proteja a sua Internet disse...

Saúdo o vosso blogue e os seus autores, pelo excelente projecto. Como Formador e co-autor do Projecto ProtejaInternet, que há uma década pugna porlevar ao conhecimento público esta temática bem como outras que lhe estão associadas. No nosso blogue, estão questionários online que podem sobre problemas como o bullying o ciberbullying e o crime informático, caso os queiram explorar ficaremos agradecidos. Sintam-se livres para colocar quaisquer questões. Parabéns por um excelente trabalho.

Jaqueline Paiva disse...

Queria compartilhar com vocês um livro do Mario Vargas Llosa que acabei de ler e que é um épico sobre bullying. "A cidade e os cachorros" se passsa no internato de um colégio militar de Lima dos anos 50. Os personagens são adolescentes entre 14 e 17 anos, com os hormônios explodindo e vivendo a busca constante de afirmação da personalidade. Fazem parte de um grupo onde praticamente não existe mediação de adultos e ele nos mostra a falta que isso faz.
O livro conta como são as relações adolescentes no colégio Leoncio Prado, onde só há meninos, cada um buscando se destacar mais no grupo.
Vale a pena ler este romance. Nos ajuda a refletir.
Coloquei um post no meu blog www.alemdosandes.com.br

Anônimo disse...

http://www.myspace.com/ebonyzonat/music/songs?filter=POPULAR#!/ebonyzonat/music/songs/ebony-zona-t-party-46104470

Não existe uma lista de rating das bandas portuguesas que incentivam o bullying porquê? Os pais têm tempo de ouvir todos os grupos?